0item(s)

Nenhum produto no carrinho.

Visite nosso site

Product was successfully added to your shopping cart.

Mira Schendel

1919 à 1988

Biografia
Myrrha Dagmar Dub (Zurique, Suíça 1919 - São Paulo SP 1988). Pintora e desenhista. Mudou-se para Milão na década de 30, onde estudou arte e filosofia. A II Guerra Mundial a obrigou abandonar os estudos. Em 1946 estabeleceu-se em Roma, até que, em 1949, obteve permisSão para vir para o Brasil. Fixou residência em Porto Alegre onde realizou tipografias, restauro de imagens barrocas, pinturas e esculturas em cerâmica para sobreviver. Também estudou e publicou poesias. Em 1950, realizou a primeira individual no auditório do jornal Correio do Povo, em Porto Alegre. Participa da 1ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1951, diminuindo o isolamento artístico em que se encontrava. Dois anos depois mudou-se para a capital paulista. Na década de 60 realizou mais de 2 mil desenhos com a técnica da monotipia em papel de arroz, divididos em subgrupos apelidados de linhas, arquiteturas (linhas em forma de u), letras (alfabeto e símbolos matemáticos) e escritas (em várias línguas), e posteriormente trabalhou também com signos (sinais de pontuação, entre outros) em letraset. Em 1966, em Sttutgart, conheceu o filosófo Max Bense, com quem manteve correspondência até 1975. Nesse ano realizou as obras Droguinhas e Trenzinhos. Por volta de 1968, começou a produzir obras utilizando o acrílico, como Objetos Gráficos e Toquinhos. Entre 1970 e 1971 realizou um conjunto de 150 cadernos, desdobrados em várias séries. Na década de 80, produziu as têmperas brancas e negras, os Sarrafos e iniciou uma série de quadros feitos com pó de tijolo. Após a sua morte, em 1988, muitas exposições apresentam a obra da artista dentro e fora do Brasil, e em 1994, a 22ª Bienal Internacional de São Paulo lhe dedicou uma sala especial. Em 1997, o marchand Paulo Figueiredo doou grande número de obras da artista para o MAM de São Paulo.

Nenhum produto coincide com esta seleção.