(11) 3085-7488
0item(s)

Nenhum produto no carrinho.

Leilão dia 18 de Junho

Product was successfully added to your shopping cart.

Aluísio Carvão

Ano: 1920 à 2001

Biografia

Pintor, escultor, ilustrador, ator, cenógrafo, professor. Dedicou-se à pintura a partir de 1946, quando realizou sua primeira exposição individual no Amapá. Em 1949 foi contemplado pelo Ministério de Educação e Cultura - MEC com uma bolsa destinada a professores de artes e mudou-se para o Rio de Janeiro. Ingressou no curso livre de pintura de Ivan Serpa (1923 - 1973), no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ, em 1952. Integrou o Grupo Frente entre 1953 e 1956, e participou das principais exposições coletivas ligadas ao concretismo brasileiro, como a 1ª Exposição Nacional de Arte Abstrata, em 1953, em Petrópolis, as mostras do Grupo Frente realizadas no Rio de Janeiro, em 1954 e 1955, e a 1ª Exposição Nacional de Arte Concreta, em São Paulo, em 1956, e no Rio de Janeiro, em 1957. Entre 1957 e 1959, lecionou no MAM/RJ, substituindo Ivan Serpa. Realizou uma exposição individual na Galeria de Artes das Folhas em 1958, em São Paulo. Assinou, com os artistas Amilcar de Castro, Franz Weissmann, Lygia Clark, Lygia Pape e o poeta Reynaldo Jardim, o Manifesto Neoconcreto, escrito por Ferreira Gullar em 1959. Com esse grupo de artistas, participou da Exposição de Arte Neoconcreta, em 1959, no Rio de Janeiro, também exibida em São Paulo e Salvador. Em 1960, participou da mostra Konkrete Kunst, em Zurique, e da Exposição de Arte Neoconcreta, em Munique. Foi contemplado no Salão Nacional de Arte Moderna com o prêmio de viagem ao exterior. Como artista visitante, ingressou na Hochschule für Gestaltung - HfG [Escola Superior da Forma], em Ulm, na Alemanha. Viajou por vários países da Europa e retornou ao Brasil em 1963. Foi professor do MAM/RJ e da Escola de Artes Visuais do Parque Lage - EAV/Parque Lage. Entre 1966 e 1979, trabalhou na área de artes gráficas e desenho industrial, produzindo cartazes, capas de livros e selos. Participou com dois trabalhos da mostra Nova Objetividade Brasileira, no MAM/RJ, em 1967. Na década de 1980, integrou diversas retrospectivas sobre arte concreta e neoconcreta. Uma importante retrospectiva do artista foi realizada em 1996, no Museu Metropolitano de Arte de Curitiba, e seguiu para o Museu de Arte da Moderna da Bahia - MAM/BA, Salvador, e MAM/RJ. Com outros artistas, participou da exposição Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, realizada em 1998 no Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP e em 1999 no MAM/RJ. As obras de Aluísio Carvão foram apresentadas em diversas Bienais Internacionais de São Paulo, na 4ª Bienal de Tóquio, em 1957, e na 1ª Bienal Interamericana do México, em 1958.

Nenhum produto coincide com esta seleção.